Tico e Teco: Defensores da Lei é um filme de referências 

Tico é definitivamente meu esquilo preferido

Nunca pensei que diria isso, mas o Sonic Feio foi o que me fez ficar louca para conferir Tico e Teco: Defensores da Lei. Nas 1h30 em que assisti o filme, senti como se tivesse entrando em um daqueles brinquedos de carrinho, que te levam a um mundo cheio de referências.

No longa, depois de fazerem sucesso na série Defensores da Lei, os protagonistas Tico e Teco foram esquecidos. Anos mais tarde, a dupla retorna quando um colega de elenco pede ajuda financeira e, na mesma noite, é sequestrado. Reunidos, os defensores da lei tentam resolver este mistério.

Misturando animação 2D, 3D e um elenco humano, o filme me surpreendeu por aproveitar bem dos recursos que dispõe. Temos ótimas interações entre esses diferentes estilos e todas elas parecem reais, além de terem um bom motivo para existir.

Outro grande acerto são as referências, sejam as pequenas, como os passarinhos acordado para circular na cabeça de alguém que sofreu um golpe, o próprio Sonic feio, o Homem-Formiga em uma convenção falida ou os filmes piratas que copiam clássicos do cinema. 

Este é um daqueles filmes que espelha Space JAM, mas não fica só nos mostrando referências, dá espaço para que elas existam e sejam apreciadas. Quanto a história, ela é simples e cumpre o seu propósito, nos dar muito tempo de diversão e nostalgia.

Tico e Teco: Defensores da Lei está disponível no Disney+.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.