Gabinete de Curiosidades – A caminhadinha que introduz o terror

Temos horror cósmico, bruxaria, espírito, claustrofobia e ratos ladrões de tumbas, pessoas insanas e muita crítica social

Por: Bárbara Pinto

Olá Freaks, como tem passado? Dessa vez trago o Gabinete de Curiosidades de Guillermo Del Toro, o cineasta responsável por algumas das minhas obras favoritas e outras favoritas de muitas pessoas, vencedor de Oscars e outros prêmios mais específicos e menos populares, como o Hugo.

Sempre trazendo com orgulho sua nacionalidade latina, mesmo depois de ter conquistado de certa forma o hall da fama de Hollywood, ele continua levantando pautas sociais em seus trabalhos, como o pós guerra civil na Espanha de 1944 em “O Labirinto do Fauno”, o crescimento pessoal de Eliza em “A forma da Água”, e a gratidão e inclusão em “O orfanato”.

Todas essas coisas sendo trazidas por elementos do terror fantástico, em diversas formas e níveis. E novamente assim, ele faz em seu Gabinete de Curiosidades, dessa vez, mais como apresentador e produtor, dando oportunidade para diretores diversos adaptarem obras para a série antológica.

“O Gabinete de Curiosidades de Guillermo del Toro” trás episódios com histórias de H.P. Lovecraft e alguns outros escritores no mesmo estilo, eu particularmente gosto de quase todos os episódios, com exceção do sétimo, que eu não acho ruim, apenas fraco e lento em relação aos outros, apenas engatando um bom ritmo na segunda metade.

Temos horror cósmico, bruxaria, espírito, claustrofobia e ratos ladrões de tumbas, pessoas insanas e muita crítica social, é claro. Em meio a tudo isso, é uma série que com toda certeza tem que ser conferida pelo público amante de terror e de Del Toro, com sua caminhadinha adorável, ele faz a introdução de todos os episódios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *