Halo fascina nas ambientações, mas não cativa em seu primeiro episódio

Série apresenta um visual impecável, por vezes igual ao dos jogos

* Atenção: esta é a opinião de uma pessoa que não tem conexão afetiva com os jogos, estejam avisados.

Tem certas coisas que sabemos não serem para nós, isso, por simplesmente não fazerem o nosso estilo. E esse é o caso de Halo, série do Paramount+, que adapta os famosos jogos de Xbox.

Não que a a obra não seja boa, ela tem cenários fantásticos, um elenco representativo, bons efeitos especiais e uma fotografia por vezes impressionante. No entanto, nada disso me fez ter vontade de continuar, já que não me cativei pela história e nem mesmo gostei dos personagens.

A premissa de Halo se foca em Master Chief, o guerreiro mais avançado do planeta Terra do século 26 e a única esperança de uma civilização quase em extinção após os ataques do Covenant, uma aliança alienígena determinada a destruir a humanidade.

Acho que o fato de termos “o melhor” em cena me incomoda um pouco, estou cansada de histórias com os escolhidos, os especiais, e vamos ser honestos, nos apaixonamos pelas falhas dos personagens, não encontrar nenhuma em Chief só o deixa sem sal.

Acredito que seria interessante para a obra se ao menos três episódios fossem lançados na estreia, isso nos faria criar mais conexão com os personagens, além de talvez engatar com mais facilidade na trama. Em minha opinião, são apresentados muitos conceitos novos ao mesmo tempo, poucos personagens que saiam do básico e um gancho nada satisfatório.

É claro que os meus gostos não tornam impossível curtir a obra, só não é a minha vibe mesmo. Então recomendo que dê uma chance, quem sabe não se torna sua nova série preferida não é?!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.