Respire! é simples e muito bem feita

Liv é uma protagonista interessante e tem um passado curioso

Nadando na contramão das séries longas e com episódios que passam de uma hora de duração, Respire! chega e mostra a importância de termos minisséries curtas e dinâmicas justamente como um “respiro” entre os conteúdos cada vez maiores.

Aqui, a jovem Liv sobrevive à queda de um avião no meio da selva canadense, assim, precisa aprender a lidar com a natureza e com seus próprios demônios. Enfrentando também a solidão, nossa protagonista procura superar suas frustrações e, com sorte, descobrir o caminho de volta para casa. 

Nos seus seis episódios com pouco mais de 30 minutos, vemos uma espécie de “Quem quer ser um milionário” da selva, pois todas as decisões que toma e as habilidades que tem nos são explicadas por meio de flashbacks, nos quais, passamos a entender muito bem como Liv teve que aprender a se virar sozinha.

Além de tornar a série mais dinâmica, esses flashbacks vão, com o passar do tempo, se integrando ao presente através de lindas, confusas e criativas alucinações, que ao meu ver, nos mostram o melhor da produção. Ainda em relação aos pontos positivos, temos Melissa Barrera, que consegue segurar nossa atenção e passar toda a sensação de desespero que a personagem pede.

Respire! está disponível na Netflix.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.