Spencer mostra a pressão e os costumes da família real britânica 

Kristen Stewart é o maior acerto deste filme

Quando comecei a assistir Spencer fiquei um pouco confusa com a proposta do longa, pois de início vemos uma Diana alucinando com Ana Bolena e comendo pérolas em sua sopa. No entanto, aos poucos fui entendo grande parte do que se passava na cabeça dela, o que a Princesa de Gales estava passando.

É válido ressaltar que Spencer não é 100% condizente com a realidade, a obra apenas narra o que poderia ter acontecido nos últimos dias do casamento entre ela e o príncipe Charles. E que o relacionamento dos dois se tornou algo ruim é senso comum, mas ver isso em tela me despertou um ódio absurdo.

Acho que o mais sufocante de toda essa situação- para os espectadores e para a Diana- é ver essa falsa paz ordenada para as festividades de Natal no Queen’s Sandringham, a casa de campo da Família Real. A princesa conhece as regras do jogo de aparências, mas depois da desilusão com o casamento, ser vestida, pesada e fotografada não é só chato, passa a ser doloroso.

Só tenho um pouco de medo de algumas pessoas interpretarem este filme como o retrato de uma mulher maluca e rebelde, porque não é sobre isso, na verdade vai muito além. Não digo que é um filme de difícil entendimento, mas sei que algumas vezes achei exagerada a forma como a retrataram e me segurei apenas na simpatia que tenho por Diana.

O filme acerta ao acrescentar elementos lúdicos, mas sei que isso pode afastar muitas pessoas. Ao mesmo tempo, o que pode trazer mais interesse, e com toda a razão, é o protagonismo de Kristen Stewart, que arrasa ao mostrar por meio de olhares, posturas e gestos, como Diana está quebrada.

A atriz com toda certeza merece sua indicação ao Oscar e é triste ver como foi esnobada por outras premiações, aliás, como esse filme foi esquecido apesar de ser primoroso em muitos aspectos.

Recomendo demais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.