Unpregnant não se encontra entre a comédia e o drama

O filme explora a liberdade do corpo e do destino feminino

Estava com uma saudade de ver a Barbie Ferreira atuando e como não foi possível conferir isso na segunda temporada de Euphoria, fui atrás de Unpregnant, filme que está disponível na HBO Max.

Aqui, acompanhamos a road trip de Veronica e Bailey, amigas que se separaram no inicio da adolescência e agora estão juntas para realizar um aborto. Mas deixa eu explicar direito, Veronica está grávida e não quer ter o filho, já Bailey vai com ela porque quer ser aceita e encontrar o pai.

Juntas, elas descobrem que um dos fatores mais importantes em suas vidas é a amizade, um laço não obrigatório que se fundamenta em apoio, honestidade e amor. Completamente opostas, o filme funciona bem por conta da química entre as duas, no entanto, sinto que algumas vezes ambas são tão diferentes que fica um pouco caricato.

Gosto de como o longa retrata o aborto, não de uma forma dramática, mas bem honesta. São levantadas questões como pressão religiosa, os filhos que um casal arranja por outro objetivo, a culpa, o consentimento e a cartilha de “como devemos nos sentir”.

O filme tem umas cenas sensacionais de comédia, mas nem tudo é bom, tem momentos muito exagerados e que nos tiram um pouco da imersão pela qual estávamos sendo conduzidos. O mesmo pode-se dizer sobre a parte mais dramática, que perde um pouco de força depois de vermos um veículo com a cara de um bebê gigante.

De qualquer forma, é um filme leve e divertido, recomendo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.