Extraordinário é daqueles filmes que enche o coração

A abordagem lúdica encanta por conta da inocência que carrega

Recém adicionado no catálogo da Netflix, Extraordinário é um filme que eu nunca tinha assistido- não sei bem por qual motivo- e acabou me deixando um pouco mais esperançosa sobre o mundo. Adaptado de um livro de mesmo título, esse é o tipo de história que todo mundo precisa ver.

O filme acompanha Auggie Pullman, um garoto que nasceu com uma deformação facial, o que fez com que passasse por 27 cirurgias plásticas. Aos 10 anos, ele pela primeira vez frequentará uma escola regular e lá, precisa lidar com a sensação constante de ser sempre observado e avaliado por todos à sua volta.

Com um roteiro sensível e cenas que conseguem ser impactantes e ao mesmo tempo leves, Extraordinário faz um bom trabalho ao nos manter atentos em suas quase duas horas de filme. Além disso, apresenta personagens, que nem sempre tomam as decisões corretas, mas geralmente tem um grande motivo por trás disso e não é como se seus erros fossem aceitáveis, mas fica evidente como o passado de cada um influencia nas atitudes do presente.

A abordagem lúdica também encanta por conta da inocência que carrega e por nos fazer entender um pouco da cabecinha de Auggie, que ama o espaço e se vê livre quando imagina que está neste lugar vasto e cheio de criaturas fantásticas, como o próprio Chewie de Star Wars.

Antes de terminar este texto, tenho que falar de Julia Roberts, Jacob Tremblay e Owen Wilson, que estão ótimos nos papéis principais e carregam toda a expressividade e o amor que seus personagens precisam.

Recomendo demais que assistam ao filme.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.