Capitã Nova é uma aventura deliciosa

A ficção científica ganhou o prêmio de Melhor Filme Infantil no Festival Cinekid

Quando me deparei com a sinopse de Capitã Nova, lembrei na hora de Projeto Adam. E por mais que as obras tenham suas semelhanças, minha surpresa foram as singularidades de cada uma, em especial a aura de aventura contida em Capitã Nova.

No longa, Nova é uma piloto de caça, de 37 anos, forçada a ir em uma missão ultrassecreta e viajar no tempo para evitar um desastre ambiental devastador. Tudo ocorre como panejado, até que, ao chegar numa Terra de 2025, sofre um efeito colateral que a faz voltar a ser uma criança.

A magia acontece justamente aí, quando a personagem fica mais jovem, talvez seja por conta da atriz ou de como Nova fica maravilhada relembrando de um mundo que já não existe, mas é muito legal acompanhar sua jornada. Além disso, temos sua relação com Nas, que no começo fica estranha por conta da diferença de idade, mas depois se torna orgânica e muito interessante.

Outra coisa que me surpreendeu foi a duração do filme, que tem apenas 85 minutos e consegue se resolver muito bem neste tempo. A obra é dinâmica, leve e quando termina, dá uma sensação de quero mais, o que é ótimo.

É claro que nem tudo é bom, temos efeitos visuais ruins, personagens que sobram e um roteiro mediano, mas quando estamos nos divertindo, tudo isso parece muito pequeno.

Recomendo demais este filme.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.