Elite se reiventa e recupera um pouco do carisma das primeiras temporadas

Nova temporada encerrou parcialmente algumas histórias

Não que alguém tenha pedido, mas eu sempre tenho opiniões sobre Elite e, hoje, trago aqui minhas considerações  (COM Spoilers) sobre a quinta temporada. Neste ano, alguns dos alunos tem que lidar com a ameaça do sumiço de Armando, isso, enquanto Rebeka e Samuel tentam esconder a sua morte.

O que mais gostei aqui foi o fato de termos um mistério duplo e que só foi se concretizando ao longo da série, assim como na primeira temporada. Outra coisa boa é que eles finalmente acertaram com os novos personagens, Isadora e Ivan são muito bons e cativam para o bem ou para o mal desde o início.

Também achei legal terem parado com a putaria apenas pela putaria, tivemos cenas de sexo sim, mas todas justificadas e bem feitas, aliás, a do Patrick e do Ivan definitivamente mostra como quando eles querem, conseguem fazer algo sensual e sensível.

Apesar de termos tantas coisas boas, algumas sempre incomodam em Elite, como a falta de carisma da Ari- que nos é forçada a todo momento, histórias pouco importantes para Rebeka, Samuel e Omar, que mal apareceram, e a mais horrenda de todas: a redenção de Phillipe.

Gosto do mistério deixado no final, mas só porque acredito muito que teremos histórias breves sobre Rebeka, Samuel e Omar, os grandes injustiçados da trama. Por fim, celebro a conclusão de Caye, que foi sem dúvidas muito satisfatória.

Que venha a próxima temporada de Elite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.