O Espetacular Homem-Aranha: Primeiros Passos

Ano de Lançamento: 2014/ Editora: Panini Comics/ Autor: Dan Slott / Ilustrações: Ramón Pérez

Depois de todo o hype criado por “No Way Home”, tive de ir atrás de mais HQ’s do teioso e depois de muito pesquisar, acabei achando a “O Espetacular Homem-Aranha: Primeiros Passos”. A proposta apresentada na sinopse de ser “um capítulo nunca lido da história que você sabe de cor” acabou chamando bastante minha atenção. Entretanto, minhas expectativas não foram saciadas! 

Escrita por Dan Slott e ilustrada por Ramón Pérez, “O Espetacular Homem-Aranha: Primeiros Passo” nos mostra um cabeça-de-teia que parece estar mais preocupado em usar seus poderes para ganhar dinheiro do que ajudar as pessoas. Logo no começo da HQ, somos apresentados a Clayton Cole, um jovem garoto que é muito fã do herói e que acompanha cada passo que ele vem a dar. Dessa forma, Clayton resolve utilizar seus conhecimentos em ciências e tecnologia para desenvolver um uniforme com a capacidade de controlar o poder do som, que pretende usar para chamar a atenção do Homem-Aranha, tornando-se o “The Clash”. 

Em contrapartida, o decorrer da história contada na HQ nos mostra um Peter Parker que, enquanto precisa lidar com a morte do Tio Ben e suas obrigações escolares, vira uma “atração de circo”, indo na contramão das responsabilidades e usando seus grandes poderes para ganhar cachês em apresentações em programas de TV. Todos que gostam do personagem Homem-Aranha sabem das suas dificuldades financeiras; mas em nenhuma das perspectivas já mostradas nós o vimos agir dessa forma e esse foi um dos principais fatores que fez com que minha experiência ao longo da leitura dessa HQ se tornasse bastante morna.  

Em seguida, o destino de Peter se cruza com o de The Clash, quando o jovem fã resolve apelar para ameaças em locais públicos para fazer com o que o Homem-Aranha o note. A partir daí, podemos até ver um certo desenvolvimento do herói para com suas responsabilidades, mas as cenas de lutas frias e a construção do enredo a partir do momento do encontro dos dois passa longe de ser algo empolgante. 

Os diálogos de “O Espetacular Homem-Aranha: Primeiros Passos” são extremamente rasos e não conseguem estimular a continuidade na leitura. As ilustrações do quadrinho possuem uma inspiração em um visual retrô que também deixa bastante a desejar. Assim, a experiência de ler “O Espetacular Homem-Aranha: Primeiros Passos” foi, pelo menos para mim, pouco edificante, que em nada cumpriu o prometido em sua sinopse!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.