Opinião: O futuro do universo DC

A DC terá um projeto de 10 anos, similar ao realizado pela Marvel.

A forma como a DC construiu seu universo cinematográfico, ao longo dos anos, é um tópico que divide opiniões e gera diversos debates entre a comunidade geek. Se formos comparar a fórmula da DC com o método Marvel, a diferença será nítida: a Marvel, indiscutivelmente, conseguiu fazer um trabalho excelente, escolhendo seus atores de uma forma minuciosa, apresentando ótimos roteiros adaptados de seus quadrinhos, desenvolvendo bem cada personagem e criando um segmento que teve um resultado primoroso. 

Em contrapartida, acompanhamos uma DC que não se preocupou em ter um painel mais sólido. Por exemplo, temos o Coringa do Joaquim Phoenix – que por sinal é um baita de um filme –  mas é um Coringa que não se encaixa na perspectiva de alguma outra obra da produtora; temos a trilogia do Batman de Cristopher Nolan, que não casa, por exemplo, com o Superman do Henry Cavil e assim por diante. Desse modo, acaba criando um tipo de  concorrência interna, fazendo o espectador ser apresentado a  um leque de opções que o deixa sem saber por onde começar. 

Assim sendo, estamos acompanhando recentemente as mudanças promovidas por David Zaslav, o mais novo CEO da Warner Bros/Discovery,  que já chegou prometendo colocar “ordem na casa”, anunciando um projeto de 10 anos para a DC, similar ao realizado pela Marvel. 

Antes de tudo, temos que reconhecer a humildade de Zaslav ao admitir, publicamente, que está se espelhando em sua principal concorrente para desenvolver seu projeto. Nos últimos dias, dentre outras divulgações, vimos o anúncio de uma futura fusão entre os streamings HBO Max e Discovery Plus e, o que pegou muita gente de surpresa, o cancelamento de filmes já prontos ou em andamento, como o da Batgirl, que seria estrelado pela Leslie Grace, cujo descarte gerou muitas discussões e teve grande repercussão. 

David Zaslav, o mais novo CEO da Warner Bros/Discovery

Em suma, realmente é mais conveniente que se promova, antes de tudo, os personagens de primeira prateleira, para posteriormente inserir os derivados. E no quesito personagem de primeira, a DC possuiu um extenso catálogo:  Superman, Batman, Aquaman,  Mulher Maravilha, Lanterna Verde, dentre outros que  poderiam ter sido melhor explorados pela DC nos cinemas, haja vista o que apresentam em suas respectivas HQ’s e animações. No entanto, o que a administração anterior da DC nos ofereceu foi um apanhado de obras – não todas, obviamente – de personagens secundários, sendo colocados em uma importância que eles NÃO POSSUEM. Diante disso, a partir de agora, a  proposta é realmente um reboot total, com o objetivo de construir um universo cinematográfico do zero, dando aos verdadeiros protagonistas da DC o espaço que merecem. E o que não falta são boas histórias que podem ser usadas como pano de fundo. 

A DC e a Marvel, no que diz respeito às HQ’s e animações, estão no mesmo páreo. Foi no cinema que a Marvel trabalhou melhor, algo que a DC também poderia ter feito desde o início, mas nunca é tarde para começar. Espero, realmente, que a DC se estabeleça, que consiga trazer um universo mais crível para seu público. Afinal, a fase 4 da Marvel está deixando um pouco a desejar. Se a DC seguir de verdade o mesmo projeto da Marvel,  não tenho dúvidas de que irá alcançar ainda mais prestígio. E quem mais irá ganhar com tudo isso? A comunidade nerd!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.