Westworld recupera o fôlego perdido na terceira temporada

Christina ganha cada vez mais importância e significado a medida em que descobre seus poderes

A quarta temporada de Westworld termina com um recomeço, através das origens da jornada de Dolores e, talvez, de uma chance para a coexistência de robôs e humanos. E foram ali, nos últimos minutos de episódio, quando ouvi o discurso dela, que fiquei simplemente feliz por não ter abandonado esta série.

Nestes oito episódios que passam longe do simples, mas não entregam toda a complexidade da primeira e da segunda temporada, nos voltamos um pouco para o lado dos humanos, que agora, são controlados por uma das piores versões de Dolores, a que é interepretada maravilhosamente por Tessa Thompson.

E é através dela ou de William, que passamos entender, a cada momento, que o triunfo só existe verdadeiramente se houver um lado perdedor, o que para Dolores/Charlotte é a humanidade e para o Homem de Preto, todo mundo que não seja ele ou dele.

Em contraponto, temos Maeve, Caleb, Bernard e Stubbs, que com suas respectivas duplas estavam se saindo muito bem, mas depois, ficam de escanteio em uma trama que pedia mais deles, que começou em grande parte por eles! Como a série não economiza no retorno de seus personagens, espero poder vê-los mais na quinta temporada.

E falando um pouco mais sobre mocinhos, preciso mencionar Christina, a arquiteta de mundos, a criadora de histórias, a dona do jogo. Fiquei muito intrigada em acompanhar sua história, que vai ganhando cada vez mais importância e significado a medida em que descobre seus poderes, entende quem é e passa a ver Teddy, aliás, quem diria que eu estaria com saudades dele?!

Por fim, acho válido citarmos Frankie, que merecia mais destaque e promete ser a verdadeira esperança da humanidade. No fim, talvez seja ela quem tenha que vencer o labirinto de Dolores, salvando não somente a sua raça, como a dos robôs também.

Westworld está disponível na HBO Max e se por um acaso você está lendo este texto sem ter assistido ou depois de desistir da série, recomendo que dê uma chance para  uma das melhores obras da atualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.