Ms. Marvel é diferente e muito boa por isso

O visual da série é seu maior ponto forte

Desde que assisti ao trailer de Miss Marvel pela primeira vez, criei um hype muito grande na série. Isso, porque além de ser teen, já apresentava uma protagonista carismática, além de elementos gráficos criativos e uma trilha sonora encantadora. 

E Freaks, se tem algo no qual a Marvel tem falhado no momento é em suprir minhas expectativas, então imaginem só a minha surpresa, quando sua nova produção me deixou com um sentimento de alegria durante quase todo o episódio inicial.

Para vocês terem uma ideia, Miss Marvel estreou na última quarta-feira, dia 8, e tendo visto apenas o primeiro episódio, já posso dizer que será uma das minhas obras preferidas do estúdio. Mas vamos falar um pouco sobre a história: aqui acompanhamos Kamala Khan, uma jovem de ascendência paquistanesa que tem que lidar com seus novos poderes enquanto tenta entender quem realmente é.

Kamala é aquele tipo de personagem que nos cativa por sua paixão e, por mais que alguns dos leitores já tenham passado pela fase da adolescência, é impossível não se identificar um pouco com essa garota, que não sabe ao certo como se expressar perto dos pais, tem problemas para se manter na realidade e ainda não sabe direito quem é, do que gosta e o que almeja para seu futuro.

Todo o arco familiar em que Kamala está inserida chama muito a minha atenção, mas também temos destaque para o seu núcleo de amigos e para sua vida social na comunidade paquistanesa, algo que promete ser muito explorado durante os episódios.

Quanto ao início da série, só tenho uma reclamação: algumas cenas de CGI são bem ruins e mereciam mais atenção, elas acabaram me tirando um pouco da imersão e diminuiram o impacto de uma cena que deveria ser bem mais do que foi.

Por enquanto é o que tenho a dizer, mas definitivamente voltarei com minhas impressões finais e, enquanto isso não acontece, assistam Miss Marvel!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.